obesidade_cancer_de_prostataUma das doenças mais comuns e que mais mata é o câncer de próstata, sendo que a cada duas horas, três homens morrem no Brasil. Em alguns casos há fatores de risco que podem aumentar a chance de adquirir a doença, e é importante cuidar para que eles não contribuam no desenvolvimento do câncer, tomando algumas medidas para evitar o problema.

Alguns fatores de risco infelizmente não podem ser modificados, estes geralmente estão relacionados a idade, etnia, nacionalidade, histórico familiar e genes, sendo essencial que os exames periódicos se iniciem aos 40 anos nestes casos.

Diferentemente dos casos anteriores, há ocasiões onde a situação pode ser modificada e o risco reduzido, que apesar da dificuldade de saber o quanto eles influenciam na doença, podem estimular no desenvolvimento de tumores na próstata. Portanto, o recomendado é cuidar desses fatores de risco, e para isso iremos listá-los a seguir.

Fatores de risco

– Dieta

Apesar da exata relação da dieta com o câncer de próstata ainda estar em estudo, sugere-se que os homens que consomem muitos suplementos ou alimentos ricos em cálcio, como laticínio, alimentos com gorduras saturadas ou que comem muita carne vermelha, estão ligeiramente mais propícios a ter o câncer de próstata.

– Obesidade

A obesidade é outro fator em estudo, porém conforme publicações científicas, acredita-se que ela pode dificultar o exame de toque retal, a realização de biópsia da próstata e pode interferir no comportamento do tumor, dificultando o prognóstico.

– Exposição Ocupacional

Há relatos de estudos que pessoas que trabalham expostas à produtos de combustão tóxica, como os bombeiros, possuem maior chance de adquirir o câncer de próstata.

– Doenças Sexualmente Transmissíveis

Acredita-se que doenças como gonorreia ou clamídia causam inflamação na próstata e consequentemente aumenta o risco do câncer.

O câncer de próstata é um assunto importante e deve haver atenção e cuidado em relação a ele. Apesar dos fatores de risco citados anteriormente estarem em fases de estudos mais precisos, é fundamental que cada um faça a sua parte. Adotar hábitos saudáveis por meio de uma alimentação balanceada, exercícios físicos, e ir ao médico regularmente para fazer os exames é importante para, além da prevenção da doença, uma melhor qualidade de vida.

Comentários