tarja_medicamentosAposto que você alguma vez você já se perguntou o que quer dizer aquela cor da tarja nas caixas dos remédios, correto? Bom, saber o significado dessas tarjas passa ser importante para compreender como funciona a questão das prescrições médicas, orientações do paciente e principalmente o risco que determinados fármacos podem causar a sua saúde.

Confira nesse post o significado de cada tarja entenda porque é necessária essa classificação.

Para que serve as tarjas?

Existe uma imensa variedade de medicamentos disponíveis para consumo no mercado farmacêutico. São diversos tipos com diversas classificações terapêuticas e substâncias que compõe a fórmula. Essa vasta game de remédios pode confundir as pessoas tanto na hora de compra-los, quanto na hora de utilizá-los de maneira correta.

Para diminuir as confusões e facilitar a compreensão, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) exigiu que os fabricantes sinalizassem com tarjas nas caixas, o grau de risco dos medicamentos. Em outras palavras, as cores são baseadas na intensidade dos efeitos colaterais e dos riscos de seu consumo. Outra vantagem após a inclusão dos medicamentos tarjados, é que dessa forma fica fácil designar se um remédio precisa ou não de prescrição médica.

Veja a seguir quais tipos de tarjas existem e o que cada uma representa.

Tarja vermelha: De modo geral, as tarjas vermelhas representam o grupo de medicamentos que oferecem risco intermediário ao consumidor. Entretanto, existem dois tipos de tarja vermelha e você poderá diferencia-las lendo a descrição no rótulo do remédio: “Venda sob prescrição médica” ou “Venda sob prescrição médica, só pode ser vendido com retenção da receita”. Parece a mesma coisa, mas não é. No primeiro caso, o paciente pode adquirir o fármaco sem que haja a necessidade de reter a receita na farmácia, alias, em muitos casos nem precisa apresentar receita alguma. Normalmente você encontra nesse grupo aqueles medicamentos de uso continuo, como para controlar a diabetes e a pressão alta.

Já no segundo caso, o controle é bem mais rígido, exigindo a apresentação obrigatória da receita, onde a drogaria deverá ficar com uma via para documentar a venda, processo similar ao que acontece com os medicamentos tarja preta.

Tarja preta: Famosos e cheio de mitos, assim podemos definir os remédios classificados como tarja preta. Esse tipo de medicação requer um cuidado muito mais rigoroso, pois seus efeitos são diretamente ligados ao sistema nervoso central. Quase sempre esse tipo de medicamento é indicado para tratar a ansiedade, depressão, estresse, insonia, síndrome do pânico e problemas de atenção.

Esses remédios só poderão ser comprados mediante a apresentação de uma receita especial, caracterizada pela cor azul ou amarela, sendo que uma das vias ficará retida na farmácia. Os remédios tarja preta são aqueles que oferecem os maiores riscos a saúde do consumidor, podendo levar a sedação ou a morte. Outro risco é em relação ao vício que este tipo de droga pode proporcionar. A própria embalagem possui um alerta: ” Venda sob prescrição médica, o abuso deste medicamento pode causar dependência”.

Tarja amarela: Esse tipo de  tarja é utilizada para diferenciar os remédios genéricos dos similares e referência. Além da faixa amarela, esse grupo de medicamentos vem com letra “G”, fazendo rápida associação com o tipo de medicamento.

Para quem não sabe, os Genéricos são fármacos que possuem a mesma composição química dos remédios referência e são indicados para tratar os mesmos sintomas. Mesmo usando a tarja amarela, os laboratórios ainda precisam colocar a outra classificação, indicando se ele é pertencente a classe vermelha ou preta. Por isso quando você for na farmácia, repare que o genérico é o único possui duas tarjas.

Remédios sem tarja: Conhecidos como MIP (Medicamentos Isentos de Prescrição), essa é a classe de medicamentos não oferecem muitos riscos a saúde, fazendo com que não seja necessária a apresentação de uma receita médica. Mesmo assim vale lembrar que todo medicamento pode causar alguns efeitos colaterais, portante não use de forma indiscriminada.

Geralmente os remédios que se enquadram nessa categoria são aqueles para tratar gripes, dores de cabeça e azias.

 

Veja também: Referência? Similar? Genérico? Saiba como diferencia-los

Comentários